segunda-feira, agosto 13, 2007

"Sicko", de Michael Moore, Censurado. Em Cuba!

Blog “El Cafe Cubano” destaca queCensurarán en Cuba documental de Maikel Moore(sic).”

Isso mesmo! Enquanto Moore é aplaudido pela esquerda em seus ataques – quase sempre infundados- ao sistema de saúde americano comparado ao cubano, em Cuba seu “documentário” (merece as aspas pela falta de distanciamento crítico dos seus assuntos) “Sicko” foi censurado. Ou seja, o povo cubano não pode ver esta propaganda dos seus serviços de saúde. Por quê será?

O “Café”, transcrevendo notícia publicada no Cuba, Democracia y Vida pelo Dr. Darsi Ferrer (diretor do Centro de Saúde e Direitos Humanos Juan Bruno Zayas) sobre o documentário do “ aliado” de Fidel, Maikel (sic), “ mesmo que pareça contraditório, a propaganda que permeia o filme para desqualificar o sistema de saúde dos Estados Unidos e destacar as bondades do cubano, resulta subversiva neste país, por sustentar-se com mentiras grosseiras que em nada representam o drama da saúde em Cuba”. Destaca ainda, que o líder máximo do país, Fidel Castro,apelou para um médico espanhol quando o seu estado de saúde agravou-se. Do mesmo modo que Domingo, médico integrante da equipe pessoal de Castro e chefe de docência do Hospital CIMEQ, recorreu a serviços oftalmológicos da Inglaterra.”

A real situação do sistema de saúde cubano é esta: caos. “ a maioria das instituições estão em ruínas, com profundas marcas de deterioração estrutural e péssimas condições”. “ Quando alguém é admitido nos hospitais, deve providenciar desde a alimentação até pijamas, roupa de cama, copos, cobertas, incluindo ocasiões em que se chega ao cúmulo de que os pacientes são obrigados a levar lâmpadas elétricas, materiais de limpeza (paliativo para falta de higiene durante sua estadia), assim como obter “por baixo dos panos” medicamentos, reagentes e outros insumos para seu tratamento”.

É claro que, se tratando da classe dirigente, turistas e militares de alta patente tudo muda de figura. Este público desfruta de excelentes serviços médicos em exclusivas instituições de saúde. Um destes hospitais é o Hospital Almeijeiras, cujos melhores pisos são dedicados a este público. Lá se pode encontrar pessoal médico de excelente qualificação e formação, música ambiente, televisão à cabo, higiene e equipamentos adequados. Tudo o que é negado à população em geral.

Pois foi exatamente o Hospital Almeijeiras o escolhido por Michael Moore para retratar a excelência dos serviços de saúde cubano. E a causa de sua censura na ilha, pois ao cubano médio, saber que existem hospitais de alta qualidade aos quais ele não tem acesso, é mais um motivo de revolta. E parece que o povo cubano está perdendo o medo do regime a cada dia que passa.

O incrível mesmo é notar como os métodos destes novos “cineastas” à esquerda, especialmente aqueles dedicados à denúncia em tom documental, seja Moore, seja um Furtado, tem a mesma base comum na mentira e na mistificação. Sebem que mesmo mentindo descaradamente, ao final estarão servindo à “boa causa” pois o capitalismo, Estados Unidos e Bush são sempre culpados. Nem Agatha Christie usava mais esta fórmula de sempre culpar o mordomo em suas novelas policiais. A criatividade deles se resume em achar novos meios para culpar os culpados de sempre. Os Estados Unidos, de uma só tacada, são o “mordomo” e os “usual suspects” mundiais, usando uma linguagem cinematográfica.

No caso de Moore, “ Sicko” vai além pois une duas bandeiras numa só: a satanização do capitalismo pelos efeitos “ mórbidos” da iniciativa privada quando se fala em “saúde”(“lucro!”, palavra proibida), segundo ele, e a divinização do regime “ igualitário” cubano. Nem os cubanos poderiam engolir esta.

Para terminar: Aqui em Portugal, os efeitos de uma medicina socializada são perversos também. Na edição de sábado, 11 de agosto, foi noticiado pelo “Jornal de Notícias” que mais de “ 41 mil doentes esperam cirurgia há mais de um ano”. O pior é que, como o setor privado é virtualmente inexistente, as pessoas não tem outra coisa a fazer.



3 comentários:

Angelo da C.I.A. disse...

Eu acho que Fidel Castro deve é ter vergonha de, volta e meia, se ver ao lado de Michael Moore. Queima o filme até mesmo de ditadores sanguinários!

Anônimo disse...

Quando li esse artigo, enviei a seguinte mensangem de correio eletrônico para
um amigo cubano que mora aqui no Brasil:

"Oi, ..., tudo bem?

Você vai sua saúde? Minha pergunta é muito mais política que pessoal. Eu vi uma
notícia em uma página de extrema direita de um português.
http://la3.blogspot.com/2007/08/de-michael-moore-censurado-em-cuba_13.html
Eu queria saber se é verdade que o sistema de saúde cubano está tão precário
como é dito nessa página de internet.

Você usou algo do sistema de saúde cubano nos últimos tempos? Se sim, você teve
que "providenciar desde a alimentação até pijamas, roupa de cama, copos,
cobertas, incluindo ocasiões em que se chega ao cúmulo de que os pacientes são
obrigados a levar lâmpadas elétricas, materiais de limpeza (paliativo para
falta de higiene durante sua estadia), assim como obter 'por baixo dos panos'
medicamentos, reagentes e outros insumos para seu tratamento”?

Ansioso pela resposta,
Vladimir."


Ele respondeu-me:

"Estimado Vladimir, mesmo que voce toque o elefante pelas 4 patas, a cabeza e o
rabo, ainda não conhece o elefante. Ainda não lí o artigo mensionado, mas tenho
certeza de que isto que me contas pode estar acontecendo em alguns hospitais de
Cuba, mas não se asuste que esta não é a realidade, o mesmo pode estar
acontesendo em algun hospital de canada o de brasil, sujiro voce asistir os
filmes canadenses: "O fin do imperio Americano" e "Invações Barbaras".
O sistema de saude de cuba não se resume a esta descrissão apocaliptica, eu ja
pasei em cuba por situações parecidas com esa de que me falas, mas tambem tenho
pasado por situações bem diferentes.
Um abrazom e depois converzamos."

Anônimo disse...

Tenho varias coisas a perguntar a devido á aminha igorãcia ou desconhecimento e é em termos de comparação,
- Transcrevendo a sua afirmação, da realidade em Cuba, pergunto:
-O que é será melhor?

a)- " “ Quando alguém é admitido nos hospitais, deve providenciar desde a alimentação até pijamas, roupa de cama, copos, cobertas, incluindo ocasiões em que se chega ao cúmulo de que os pacientes são obrigados a levar lâmpadas elétricas, materiais de limpeza (paliativo para falta de higiene durante sua estadia), assim como obter “por baixo dos panos” medicamentos, reagentes e outros insumos para seu tratamento” ".

ou , retratando a realidade Norte Americana :

b)Abandonando as pessoas doentes (algumas delas com doenças muito graves) ás portas dos hospitais ou mesmo vetando a sua entrada nos ditos , deixando-as muribundas á mercê do destino, só pelo facto de não terem seguro de saude, que está entregue nas mãos de privados e que ainda por cima detêm o Monópolio do serviço Nacional de Saude Norte Americano,quando este deveria ser da responsabilida do Estado?
Será que o "Estado" enquanto "Estado" não terá essa responsabilidade civil para com os cidadãos?- tal como contece em Cuba ,ou será que a "vida" da pessoas é um negócio?
Já agora pergunto se tem filhos , quanto pagaria pelas sua vidas ? ou será que as suas vidas não têm preço?