terça-feira, novembro 07, 2006

Chega de Zero Hora!! Viva o "Mídia"!!

No dia 03/11 liguei para a central de atendimento do jornal "Zero Hora".
O atendente foi muito simpático.
Informei-lhe de minha intenção de cancelar minha assinatura - depois de seis anos.
Durante este tempo muitas experiências positivas (foi pela ZH que tive interesse em conhecer a obra de Olavo de Carvalho, por exemplo) e negativas [dezenas de cartas - muitas publicadas e até comentadas; trocas de farpas com Daniel Scola - amistosas- e Rosane de Oliveira (arrgggh!) ], ao final o viés politicamente correto, ou melhor "governantemente correto" do jornal exacerbou-se ao infinito - principalmente após a po$$e do molusco, com as saídas de Mendelsky e Barrionuevo, que podiam ser tudo, menos o 'homen-massa" que era quem os atacava. Nesses homens havia uma individualidade racional "contra a corrente" indubitável, bem diferente do caráter orgástico-carnavalesco de um Paulo Santana, por exemplo, que é o colunista preferido do jornal.

- Qual o problema? Entrega? Atrasos? Perda do jornal??
- Nada disso. Meu colunista preferido, Olavo de Carvalho foi demitido da Zero Hora, onde escrevia aos domingos e sem Olavo, Zero Hora não passa de papel pintado.
- Oh. Isso é sério! Um cliente de seis anos... Vou passar para nossa ouvidoria.
- Ok (Pensei com os meus botões "ouvidoria", para quê? Para dizer que dois dias depois do artigo censurado em ZH o que ele afirmava como profecia - o controle da imprensa pelo neo-comunista Lula - já havia ocorrido no caso de Veja e que portanto a autocensura de Zero Hora provava o seu nanismo ético e que Marcelo Rech é efetivamente um homen-massa refinado, mas um deles também?? Quem é que ia entender isso. Um "ouvidor" acostumado a reclamações de atraso de entrega ?? Faça-me o favor!!)
Assim pelo menos pude registrar meu descontentamento e de quebra sobrou algum para eu contribuir para o "Mídia Sem Máscara".
Capítulo encerrado.
Ou melhor. Um novo capítulo...

Um comentário:

Bruno disse...

Encerrado nada, vão passar a vida inteira tentando te empurrar o papel pintado novamente.

Já cancelei O Globo (sou do Rio) duas vezes. Na primeira, começaram a me mandar de graça nos fins de semana. Agora, mandam todos os dias sem cobrar nada. Estou no aguardo do TERCEIRO telefonema perguntando se não quero voltar a ser assinante pago do jornal.