segunda-feira, junho 06, 2011

Eleições em Portugal: Lições para o Brasil!

A campanha eleitoral legislativa 2011 em Portugal deu a vitória ao candidato da oposição (? a ser clarificada) PSD - Pedro Passos Coelho.
O que tem de interessante é que sua campanha - segundo a imprensa - foi cheia de equívocos e "tiros no pé" - conforme listado abaixo pelo Blasfêmias.

Os tiros no pé de Passos Coelho « BLASFÉMIAS

Passos Coelho ganhou as eleições depois de:


- ter defendido uma revisão constitucional radical
- ter imposto ao PSD um cabeça de lista por Lisboa vindo da sua esquerda
- ter dito que não haveria ministério da cultura
-ter dito que não haveria um ministro em exclusivo para a agricultura
- ter dito que aplicaria o programa da troika
- ter criticado Pacheco Pereira em plena campanha eleitoral
- ter dito que a lei do aborto poderia ser revista


Ao mesmo tempo, a campanha do Partido Socialista (PS) era decantada pela mesma mídia como "vencedora" e sem falhas...

Qual a lição para o Brasil? Deixem de ser seduzidos pela comunicação social achando que o que ela "aprova" é o que os eleitores querem.
Há muito que a imprensa é motivada ideologicamente. Vocês, políticos brasileiros, venderam a alma à mídia, apenas para serem "bem citados" por ela, tanto nos jornais como na televisão, quando na verdade estavam desviando-se completamente do que o povo brasileiro necessita.

Abandonem o Politicamente Correto e deixem esta mídia a falar sozinha. Cada vez menos votantes lêem os seus jornais, vêem os seus noticiosos. Voltem ao povo..

Mas acho que estou falando para as paredes, pois afinal, politiqueiros puxa-sacos de jornalistas não merecem um pingo de consideração, pelo contrário.

3 comentários:

blogdotata disse...

Acho, Luis Afonso, que o problema das esquerdas no Brasil e América Latina é bem diferente da Europa. As esquerdas neste lado do Atântico se alimentam da ignorância generalizada do povo e, evidentemente, dos cofres públicos (haja vista os escândalos semanais), do descaso coletivo e da índole mental preguiçosa das massas estúpidas que detêm o poder de aleger. Não se pode comparar o nível cultural do povo de Portugal com o do Brasil, estão a mil anos de distância. Por isto, o que funcionou ai não vai funcionar aqui. A Europa vem se livrando paulatinamente das esquerdas. Agora foi a vez de Portugal, a próxima será a Espanha. Restará a França com a sua esquerda rançosa, mas o seu dia também chegará. A América Latina é diferente: cai cada dia mais nos braços das esquerdas. Quem ganhou a eleição no Peru semana passada foi Holanta Hummala, um comunista da velha guarda stalinista. Esperemos para ver.

Luís Afonso disse...

Blogdotata, vamos por partes:

a) O Povo português está tão imerso no socialismo que, mesmo com a crise provocada pelo mesmo, achava que a solução era manter do jeito que está. Se não houvesse um acordo com o FMI e com medidas duras de encolhimento do Estado já assinadas, o partido socialista ganharia novamente. A mídia inteira é socialista e só perdeu por causa dos tais acordos..
b) No Brasil também há o mesmo problema que eu sublinhei. Mas no Brasil os candidatos querem é aparecer na mídia e não serem fiéis ao eleitorado.
c) O Brasil tem o Foro de São Paulo a influenciar, mas a Europa tema União Européia a forçar o casamento gay, aborto, eliminação total da religião na vida das pessoas (com exceção do Islamismo que vai virar regra) e uma agenda claramente "welfare state" de emburrecimento geral. No fundo a diferença é entre um socialismo fabiano (europeu) e um método mais aproximado do "foquismo" na América Latina.

Fábio V. Barreto disse...

Passos Coelho está longe de ser o meu político ideal, mas só o facto de ter tirado J. Sócrates do Governo já é um alívio.

Idealmente, penso que o governo para Portugal seria um liderado pelo CDS em coalizão com o PPM e alguns membros do PSD. Mas tenho de ser realista e aceitar o que temos.

O novo Executivo vai ter de governar segundo a cartilha da troika. Uma pena, mas não pode ser de outro modo, visto o destrucionismo económico causado pela Governação PS. Se consiguirem reverter isso, serão heróis.

Agora, realmente é de lascar o apego dos portugueses pelo PS! Sócrates e cia quase acabaram com o país, e o que mais eles querem? Que Portugal tenha índices económico-sociais comparáveis aos de países africanos e latinoamericanos?