quarta-feira, abril 12, 2006

Coronel Ustra lança livro (e é intimado pela Justiça)

Esta notícia é realmente decepcionante.
A falsificação do passado no Brasil chega a níveis absurdos. Quaisquer brechas na "matrix" são combatidas com fervor militante e apoiadas por uma 'justiça' não tão justa assim.

Convido, outrossim, a todos comprometidos com a verdade a adquirir o livro
"A Verdade Sufocada – A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça", do Coronel Ustra.

--------------------------------------------------------------------------------------

Coronel Ustra lança livro e é intimado pela Justiça

 

Félix Maier

 

O livro "A Verdade Sufocada – A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça", Editora Ser, Brasília, 2006, de 541 pg., de autoria do coronel reformado do Exército, Carlos Alberto Brilhante Ustra, será lançado hoje, dia 11 de abril de 2006, a partir das 20:00 horas, no Iate Clube de Brasília.

 

Ao custo de R$ 40,00, o exemplar pode ser adquirido via telefone: (61) 3468-6576, por e-mail: averdadesufocada@terra.com.br, ou pelo correio: Carlos Alberto Brilhante Ustra – Caixa Postal 701 – Agência Lago Norte – CEP 71510-970 – Brasília/DF.

 

O coronel Ustra é também autor do livro "Rompendo o Silêncio", editado pela Editerra Editorial (Atual Editora Thesaurus), de Brasília, que teve 3 edições (a 1ª em 1987) e atualmente está esgotado. No entanto, o coronel Ustra coloca-se à disposição de todos para enviar, por partes, via e-mail, o conteúdo do livro, um trabalho de scanner realizado pelo Sr. Severino Mariz Filho.

 

O revanchismo continua

 

Na antevéspera da abertura do "I Encontro Nacional por um Brasil Verde e Amarelo", evento que ficou a cargo do Ternuma Regional Brasília e que foi realizado na Capital Federal nos dias 31 de março e 1º de abril de 2006, o coronel Ustra, recebeu do Tribunal de Justiça de São Paulo uma intimação para se defender, no prazo de 15 dias, das acusações movidas pela Sra. Maria Amélia Telis, do Movimento Tortura Nunca Mais, de que teria sido torturada perante os filhos em 1972.

 

Leia artigo completo em http://www.ternuma.com.br/fmaier62.htm

Um comentário:

Moacyr Francisco disse...

Que gracinha!
Justamente quando o José "Genocídio" acaba de receber indecente "indenização" por ter sido traidor da Pátria...
Sobre o indigitado, a melhor definiçao que vi, é que ele é o "Homem dos três tapas": um p/ começar a falar, e dois p/ PARAR (esse "dengo" se deve à sua fama de dedo-duro do Araguaia-iá-iá)
Está mais do que claro que só vai ficar tudo "certo" qdo TODOS os sequestradores, ladrões de banco, assaltantes, e, quiçá, bandidinhos de semáforo forem devidamente INDENIZADOS pelos essenciais serviços prestados à Nação. Isso não tem mais fim.
Abs
MF