quarta-feira, agosto 31, 2005

Idiotas-agora-não-tão-úteis: o clima na militância histórica do PT


  [http://www.idelberavelar.com/archives/2005/06/conversas_com_a_1.php]

É incrível o ponto de auto-engano em que chegaram os (ex-)militantes petistas: ainda acham que um bando de "corruptos" sequestraram o seu partido do coração... Não imaginam e não conseguem entender que os mesmos "corruptos" e "políticos iguais aos outros" são os mesmíssimos fundadores do PT.
Não tem um outro CPF (excetuando-se José Dirceu que deve ter vários), não tem outra identidade. Não são outras pessoas. São as mesmas.
Os órfãos acham que o grande corruptor é o dinheiro. Mal conseguem entender que o grande corruptor é e sempre foi o Partido, destino final de todo o dinheiro roubado, desviado para alimentar um projeto de poder continental - em conjunto com Cuba e Venezuela e a grana do narco-tráfico das FARC.
Isto tudo foi feito para dar forma aos sonhos mais utópicos dos seus militantes mais aguerridos.
Ou eles achavam que a "revolução" seria financiada com a venda de estrelinhas, broches e camisetas do Guevara em porta de fábrica?

De qualquer forma é tristemente cômico a situação em que se meteram.
Este blog descreve algumas observações sobre o caso.
A última atualização é de junho de 2005.
Sintomático.
Este diálogo é hilário: Descreve o que a mãe disse para a filha sobre o Eduardo Suplicy, num evento do PT:

Conversas com a Militância do PT em São Paulo: uma mãe e uma criança passavam pelo lugar. A criança perguntou (sobre Eduardo Suplicy) : "mãe, ele é político do PT?"
Resposta da mãe: "sim, filha, mas não é bandido como os outros não"."



4 comentários:

Cleto disse...

hehe Rachei de tanto rir. Abraços, Luís!

Bianca disse...

Bravo, Luís!
Ah, só não esqueçamos que a vendagem de estrelinhas vermelhas e camisetas do CliChe Guevara é bem maior nas portas das universidades do que nas das fábricas.

Norma disse...

Isso aí! Agora que o PT caiu em desgraça, esse monopólio da pureza vai ceder mesmo. Meu único medo é sua encarnação no P-Sol, como mostra um dos últimos artigos do Olavo. Por isso, desmontar a estratégia esquerdista (seus pressupostos) é mais eficaz que apontar para essa ou aquela sua manifestação particular. Como Bianca falou, o espírito do esquerdismo é rei nas universidades - o problema é que todo mundo está como eu, de saco cheio demais para se lançar à empreitada de quebrar pedra, e querendo aprender de verdade em ambientes acadêmicos mais saudáveis. Quando eu penso na carreira universitária aqui no Brasil chega a dar calafrios...

Jorge Nobre disse...

Espero sua permissão, Luís Afonso, para linkar este post no meu blog.